19 de dez de 2014

PARABÉNS JOÃO MARIA Correa Gonçalves

Santista, de bem com a vida, descansando hoje, com amigos e família, com lembranças do ontem e de vários anos, várias décadas dentro e fora de campo. Assim leva a vida João Maria Correa Gonçalves, seja a beira do Rio Piracicaba com o manto Tocando de Primeira, em sua residência em Campo Mourão ou nas suas viagens pelo Norte do Brasil. Desde pequeno tive o privilégio de ver em campo o vistoso futebol de João Maria nos tempos do Municipal - time de funcionários da Prefeitura que tinha a liderança de Haroldo Gonçalves Neto, que recebeu como homenagem o nome do ginásio de esportes da Vila Urupês, anexo ao Santuário Nossa Senhora Aparecida.
João Maria, estas imagens são para relembrar momentos vividos, apaixonados e decisivos em sua vida. Mas também para prestar uma homenagem em vida, rogando a Deus por Gratidão por tudo o que ele tem dado a você nesses anos de vida ao lado de quem ama e quer bem. Quase nada a pedir além de graças e bençãos, mas muito, muito a agradecer.
Viva. Parabéns e muitas felicidades.

EVANGELHO DO DIA sexta-feira, 19 de dezembro 2014

(Lc 1,5-25) — O Senhor esteja convosco. — Ele está no meio de nós. — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas. — Glória a vós, Senhor. 5Nos dias de Herodes, rei da Judeia, vivia um sacerdote chamado Zacarias, do grupo de Abia. Sua esposa era descendente de Aarão e chamava-se Isabel. 6Ambos eram justos diante de Deus e obedeciam fielmente a todos os mandamentos e ordens do Senhor. 7Não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e os dois já eram de idade avançada. 8Em certa ocasião, Zacarias estava exercendo as funções sacerdotais no Templo, pois era a vez do seu grupo. 9Conforme o costume dos sacerdotes, ele foi sorteado para entrar no Santuário, e fazer a oferta do incenso. 10Toda a assembleia do povo estava do lado de fora rezando, enquanto o incenso estava sendo oferecido. 11Então apareceu-lhe o anjo do Senhor, de pé, à direita do altar do incenso. 12Ao vê-lo, Zacarias ficou perturbado e o temor apoderou-se dele. 13Mas o anjo disse: “Não tenhas medo, Zacarias, porque Deus ouviu tua súplica. Tua esposa, Isabel, vai ter um filho, e tu lhe darás o nome de João. 14Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino, 15porque ele vai ser grande diante do Senhor. Não beberá vinho nem bebida fermentada e, desde o ventre materno, ficará repleto do Espírito Santo. 16Ele reconduzirá muitos do povo de Israel ao Senhor seu Deus. 17E há de caminhar à frente deles, com o espírito e o poder de Elias, a fim de converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à sabedoria dos justos, preparando para o Senhor um povo bem disposto”. 18Então Zacarias perguntou ao anjo: “Como terei certeza disto? Sou velho e minha mulher é de idade avançada”. 19O anjo respondeu-lhe: “Eu sou Gabriel. Estou sempre na presença de Deus, e fui enviado para dar-te esta boa notícia. 20Eis que ficarás mudo e não poderás falar, até o dia em que essas coisas acontecerem, porque não acreditaste nas minhas palavras, que se hão de cumprir no tempo certo”. 21O povo estava esperando Zacarias, e admirava-se com a demora no Santuário. 22Quando saiu, não podia falar-lhes. E compreenderam que ele tinha tido uma visão no Santuário. Zacarias falava por sinais e continuava mudo. 23Depois que terminou seus dias de serviço no Santuário, Zacarias voltou para casa.24Algum tempo depois, sua esposa Isabel ficou grávida, e escondeu-se durante cinco meses.25Ela dizia: “Eis o que o Senhor fez por mim, nos dias em que ele se dignou tirar-me da humilhação pública!”  — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor.

18 de dez de 2014

GERSON MACIEL: De vício a paixão, o rádio

O fascínio pela radiocomunicação iniciou no banco escolar, mais especificamente nas aulas de português. As várias noites e madrugadas que passou com o seu inseparável companheiro, um radinho a pilha que ganhou da mãe, o despertou para o meio. Com o tempo adquiriu naturalmente habilidades em comunicação apenas pelas horas que passava ouvindo programas radiojornalísticos. Desde garoto era um sucesso com o ‘jornalzinho’ falado da escola. Pudera, o rádio já era um vício em sua vida. 
Ele é pequeno no tamanho, mas gigante na voz. Estamos falando de Gerson Maciel, 47, um dos radialistas mais bem conceituados de Campo Mourão. Em homenagem ao Dia do Radialista, comemorado oficialmente no dia 7 de novembro, a ‘Revista Estação’ conversou com Maciel, que falou de sua paixão descomunal pelo meio.
O caso de Maciel com o rádio é bastante antigo. Está em seu sangue. Ele dormia com o aparelho na cabeceira da cama. Os rádios da mãe não paravam inteiros. “Ela comprava e eu os desmontava inteirinho. Eu tanto gostava de ouvir rádio como gostava do aparelho. Então eu dormia e acordava ouvindo rádio”, disse. Na época, lembrou, as programações não eram 24 horas como hoje, ou seja, a meia noite as transmissões eram encerradas.
Mas apesar de cultivar a paixão desde muito cedo, foi apenas aos 17 anos, em meados de 1986, o primeiro contato com uma rádio profissional, na época a Rádio Colméia (AM), onde transmitia flashes do esporte – curtas informações. Até hoje ele trabalha na emissora. Faz muito sucesso com o programa ‘Feirão Colméia’, há 25 anos no ar.  Seu grande incentivador foi Idevalci Ferreira Maia, o conhecido professor Idê da cidade. “Ele sabia que eu tinha facilidade e desenvoltura com a comunicação e me levou com ele para os jogos escolares, na época em Umuarama. Voltando de lá me apresentou ao pessoal da rádio. Eles gostaram de mim e foi aí que minha carreira iniciou”, recordou. A preferência de Maciel no rádio sempre foi por reportagens e programas esportivos.
Desafio
Os desafios ao comunicador do rádio são inúmeros. No entanto, para Maciel, talvez o maior seja o de se manter no mercado. “Sempre existiram, porém hoje é mais comum,  pessoas que apenas têm admiração pelo rádio e veem no meio uma chance financeira, ou até mesmo por questões políticas, acabam se sobrepondo ao radialista”, polemizou, se referindo aos conhecidos ‘picaretas do mercado’, pessoas inabilitadas e muitas vezes inaptas que mesmo assim ocupam o espaço.
Credibilidade
Com 28 anos de carreira, a credibilidade profissional na vida de Maciel, surgiu naturalmente. Porém, o radialista disse que sempre se preocupou com isso. Segundo ele, o comportamento inadequado de alguns profissionais acaba respigando em toda a classe.  “Alguns, por serem ótimos profissionais e terem um bom relacionamento com o público e políticos abusam um pouco e acabavam manchando a classe. Eu sempre tracei um paralelo, de como fazer para ser igual a ‘este’ e não ‘aquele’”, disse.
Cobertura marcante
            Qual radialista que não carrega na memória a cobertura mais marcante de sua vida. Com Maciel não é diferente. Entre tantas, ele destacou para as transmissões dos jogos da extinta Adap de Campo Mourão no Campeonato Paranaense de 1996. O time foi vice-campeão da competição, deixando grupos muitos maiores e mais fortes para trás. “Além deste, tivemos muitos outros momentos especiais”, argumentou.
Futuro
Apesar de tantas mudanças nos meios de comunicação, Maciel vê o futuro das rádios AM’s com otimismo. Segundo ele, havia uma preocupação quando a FM surgiu. Havia temores de que a AM perderia espaço, o que não ocorreu. “Com a chegada da internet imaginou se também que poderia ser o fim. Mas pelo contrário foi bom porque hoje a AM está na internet”, disse.
Ainda segundo ele, a adesão do padrão AM com FM, onde a rádio AM pode passar para FM, melhorará a qualidade de transmissão, principalmente em termos sonoros. “Então eu não vejo com pessimismo. Se não melhorar em termos de chegar a mais lugares, pelo menos acredito que vai se manter”, explicou.
O Dia do Radialista
Com a mudança imposta por uma lei federal em 2006, os radialistas passaram a ter duas datas para comemorar, além do tradicional Dia do Rádio (25 de setembro). O dia 21 de setembro virou uma data simbólica e 7 de novembro a oficial. A mudança aconteceu em decorrência a uma homenagem ao músico e radialista Ary Barroso.
O profissional radialista trabalha com os meios de comunicação, especialmente com o rádio, como o próprio nome sugere, embora possa atuar com televisão e afins. Apesar de a primeira transmissão radiofônica oficial no Brasil ter ocorrido em 1922, no estado do Rio de Janeiro, a profissão foi regulamentada apenas em 1978, pela lei 6.615.
Além das transmissões e locuções pelo rádio, o radialista acaba desempenhando diversas outras funções dentro do setor de trabalho, podendo ser responsável, ainda, pelas áreas de direção, roteiro, criação, entre outros. Ademais, é importante lembrar que o ouvinte não pode ver a pessoa através do rádio, o que torna a sua voz o único instrumento para atrair a atenção.
Algumas características desejáveis para o exercício da profissão de radialista:
* Boa dicção; * Domínio pleno da língua portuguesa falada; * Empatia; * Boa expressão; * Saber trabalhar sob pressão; * Agilidade de raciocínio; * Sensibilidade; * Boa voz; *  criatividade; * Facilidade em lidar com o público; * Estar diariamente atualizado; * Conhecer as necessidades e os desejos do público.
Fonte: Revista Estação. Texto jornalista Walter Pereira. 

OSMAR SANTOS, o maior narrador do futebol e dono do bordão "Ripa na chulipa e pimba na gorduchinha"

O rádio sempre foi uma de minhas paixões. Iniciei ouvindo rádio na década de 80 e sonhava em apresentar um programa e atuar no rádio. Em 1984 já estava falando na "latinha", via Rádio Humaitá no programa "Uma Luz no Infinito" às sextas-feiras, em programa da Igreja Católica com início às 23 horas. E depois, veio a mudança para o rádio esportivo durante dois anos na mesma Humaitá e em seguida no microfone Colméia. 
Tinha como referência o narrador e locutor Osmar Santos, pela sua criatividade, facilidade de memorização e empatia. Considero Osmar o melhor narrador de todos os tempos do rádio brasileiro. 
Dono de frases que se tornaram famosas e inesquecíveis no mundo esportivo como “Ripa na chulipa e pimba na gorduchinha”, Osmar será homenageado no Paulistão 2015 com a bola Gorduchinha, lançada pela Penalty.
Há 20 anos, Osmar Santos hoje com 64 anos não exerce mais a profissão em função de acidente de carro que sofreu e afetou sua voz. Ao invés do rádio, ele se dedica à pintura.

BOLA "GORDUCHINHA": PAULISTÃO 2015 presta homenagem ao narrador Osmar Santos em 2015

A Federação Paulista de Futebol homenageará o ex-narrador Osmar Santos batizando a bola que será utilizada na competição de "Gorduchinha". Não será a primeira vez que "Gorduchinha" estará em campo. A bola, lançada em março deste ano pela fornecedora Penalty, esteve em campo em nove estaduais pelo país, além das Séries B e C do Brasileirão. "Gorduchinha" esteve entre os nomes cotados para ser a bola oficial da Copa do Mundo. Houve campanha para convencer a Fifa, mas "Brazuca" acabou sendo o nome que venceu.
Narrador e jornalista, Osmar Santos fez sucesso nas transmissões esportivas no rádio nos anos 80 e 90. Um de seus bordões mais famosos era o "Ripa na Chulipa. Pimba na Gorduchinha". Sua carreira jornalística foi interrompida em 1994, em um grave acidente automobilístico. Osmar Santos passou a ter limitações físicas e na fala em decorrência de perda da massa encefálica.
A "Gorduchinha" será usada em todos torneios promovidos pela Federação Paulista de Futebol: Paulista séries A1, A2 e A3; Paulista Segunda Divisão, Copa Paulista, Copa São Paulo Júnior; Paulista sub 11, 13, 15 e 17; Paulista Sub 20 1ª e 2ª Divisões, Paulista Feminino, Torneio Internacional Feminino, Seleção de Ligas, Amador do Estado e Torneio Sulbrasileiro. Site Uol. 

AMANHÃ TEM CANTATA de Natal em CM


EVANGELHO DO DIA quinta-feira 18 de dezembro 2014

Evangelho (Mt 1,18-24) — O Senhor esteja convosco. — Ele está no meio de nós. — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. — Glória a vós, Senhor. 18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. 19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo.20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”. 22Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 23“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”.24Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado, e aceitou sua esposa.  — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor.

17 de dez de 2014

A VIDA COMEÇA AOS 60! PARABÉNS APARECIDO!

O filósofo disse um dia que: "Fazer aniversário é olhar para trás com gratidão e para frente com fé" e "E que os homens são como os vinhos: a idade azeda os maus e apura os bons."
O amigo José Aparecido Bernardo, o qual conheço há 30 anos tem motivos de sobra para festejar, celebrar e comemorar com os amigos seus, de ontem e de hoje. E comemorar 60 anos é uma benção, uma dádiva. Não é pouca coisa, como não canso de repetir escrevendo ou falando. 
Sempre atencioso, prestativo, com visão e estratégia elogiável, ele sabe como poucos lembrar e reconhecer o talento e a qualidade dos amigos de hoje e os de ontem. Porque afinal de contas, nessa idade maravilhosa com saúde, paz, trabalho, família e amigos, a conquista da melhor idade e a felicidade é fruto do ontem e do hoje, sem esquecer de projetar e fazer acontecer o futuro. Viva!
Parabéns José Aparecido Bernardo! Gente de primeira qualidade, repleto de paz interior e muita paz.

MONSENHOR JONAS: o coração humano é como uma bússola

O coração humano é como uma bússola que nos mostra sempre que ‘bem’ é bem e ‘mal’ é mal. Mas, infelizmente, as pessoas estão muito perdidas. Os maus continuam maus, porque os bons não são melhores. E por que os bons não são melhores? Porque não querem ser santos. Por isso, os maus são maus, porque os bons não são melhores. E os bons não são melhores, porque os melhores não são santos.
Santidade não é coisa complicada. É buscar a Deus. Você precisa buscar a santidade, mas se você se satisfizer com a mediocridade, a correnteza já o estará levando para baixo.
E aí está o segredo da santidade! Ser santo é uma questão de transformação, não um passe de mágica. Olhando, com olhos humanos, para a adoração, vendo a pessoa ali parada, podemos dizer que ela está perdendo a vida, jogando-a fora. Mas não estamos jogando fora nossa vida, não! Porque, pelo fato de estarmos ali, o quanto pudermos, em adoração ao Santíssimo Sacramento, apenas crendo, o Senhor está junto de nós. 
Seu irmão, Monsenhor Jonas Abib Fundador da Comunidade Canção Nova

A ÚLTIMA REUNIÃO ANUAL do Rotary Raio de Luz

A convite de Mirthes Cardoso estive na segunda - feira (15) conversando com as rotarianas do Rotary Campo Mourão Raio de Luz - o único clube rotário feminino do Paraná e um dos primeiros do Brasil. Grupo simpático, cordial e atencioso que partilhou sobre vários aspectos sobre os valores ligados à família. Bom mesmo é ser feliz foi o tema da conversa que fez parte da última reunião anual.
Parabéns as rotarianas motivadas com uma nova experiência em suas vidas.